Já Mudei de Ideia | Escrito Por Nilton Victorino Filho

Sempre amei a nobre arte, desde muito pequeno fui devoto de Muhammad Ali, aquele semi-deus, que bailava nos ringues. Por conta disso, um lutador, no meu ver, tinha que ter classe.Eu e mais um bocado de pessoas, torcemos o nariz quando vimos um tal de Tyson despontar no mundo do boxe, aquilo não era luta, era um massacre. Em 1988, Larry Holmes era o dono do cinturão, longe da categoria de Ali, mas tinha um jeito cavalheiro de boxear, sempre que saía para trabalhar, aguardava o ônibus no bar do Klebão, lá dava pra ver quando ele entrava na rua João de Lourenzo, até ele descer a rua, dava tempo de chegar ao ponto de ônibus, que ficava no portão do Educandário Dom Duarte.

O boteco do Klebão era o point dos esportistas, todo mundo que parava ali, pra uma brêja, ficava horas e horas falando de esporte, tinha uma televisão no balcão, a programação era só esporte, se saísse disso, a freguesia reclamava, a dona Célia não tinha direito nem a novela. Certa tarde, enquanto eu fazia um tempo por ali, um programa mostrou a luta, luta não…massacre contra um Zé Ruela, que o havia derrotado nas Olimpíadas, quando o cara caiu, já estava desacordado. Diante dessa atrocidade, mostrei minha indignação: _Isso não é um lutador, trata-se de um animal, só o Holmes pra dar jeito nisso. O bar estava lotado, só duas pessoas me apoiaram, o Klebão e o Pascoal bicheiro, os outros 50 me vaiaram, o mais afoito deles era o Carlos Roberto Brigido e iniciou-se um bate boca, eu falava do boxe elegante do passado e ele enaltecia as qualidades do açougueiro Tyson, quando anunciaram que o buzão já iniciava a descida, eu já tinha fechado a aposta…uma caixa de cerveja e corri pro ponto.

Entre o dia da aposta e a luta, passaram-se uns meses e quando nos encontrávamos, provocávamos, nesse meio tempo o impiedoso baixinho atropelou uns dois adversários e eu dizia: Se cuida Mike Tyson The Legend, sua hora vai chegar, pode esperar. Nessa época eu trabalhava de vigilante no período da noite, assisti a luta na Usina Elevatória de Traição, portaria 4. Puts…passei vergonha, o Holmes não foi nocauteado, porque passou o tempo todo segurando o baixinho, no quarto assalto fiquei torcendo para ele soltar e ganhar uma porrada no meio da cara. Saldei a minha dívida e na primeira defesa de título do fenomenal Tyson, eu e toda a galera do bar do Klebão, pulamos de alegria, quando ele fez mais uma vítima.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: